Apresentando o CakePHP

Postado por DBC Company Em: Capacitação, Desenvolvimento, Tecnologia Sem comentarios

O CakePHP é um framework PHP, que segue o padrão MVC. Além dessa estrutura, ele se baseia em uma filosofia de simplicidade e velocidade. E para isso ele prefere seguir algumas convenções. A equipe de desenvolvimento da ferramenta, definiu formas padronizadas para facilitar a vida dos desenvolvedores, ao invés de utilizar configurações para ajudar no trabalho. É uma abordagem que atrai muitas pessoas, tanto que é um dos frameworks mais relacionados como melhores no mundo PHP. Embora a comunidade brasileira não seja a mais ativa, o CakePHP é sim uma grande ferramenta, e possui um arsenal de utilidades enormes para ajudar quem está começando.

Um dos pontos mais fortes do framework é sem dúvidas sua documentação que é considerada tão boa que não é difícil achar, praticamente, tudo nela. Isso é um fator importantíssimo para quem quer aprender um framework, é onde você vai (deveria) encontrar o que precisa para trabalhar. O CakePHP tem um sequência de tutoriais que dá suporte para qualquer pessoa começar a criar um blog, e com autenticação, gerenciamento de tags, e mais.

O framework foi evoluindo com o tempo e está neste momento desenvolvendo a versão 4 dele. Porém para quem começou com a versão 1, consegue ver ainda o mesmo padrão, ou filosofia dele no core. Com certeza houve mudanças que quebraram compatibilidade entre as versões, principalmente na versão 2 para 3, em que introduziram um conceito “novo” de model, separando em Tables e Entity. Na verdade, no início trouxe grande tumulto entre os seus seguidores, porque realmente quebrou a forma de pensar no model, mas particularmente acho que foi uma decisão acertada do time.

Outra novidade na versão 3 foi a Cells, em que poderia controlar regra de negócio em pequenas partes do sistema. Isso lembra, em uma análise bem rasa, os componentes de hoje em dia dos frameworks Javascript. Embora a ideia do Cells seja muito boa, é uma das coisas que acaba confundindo quem está iniciando no framework, pois o framework sempre teve os auxiliares do padrão MVC.

O Behaviors auxilia a camada de Model para tratar dados, formatando, modificando, e validando dados antes de salvar, e até mesmo quando vai buscar dados. O Components auxilia o Controller, assim como o Helper ajuda a camada View em suas tarefas comuns.

O CakePHP pode ser instalado através do composer, que é um gerenciador de pacotes, assim como existe o npm no mundo Javascript, o composer fazer essa parte difícil de gerenciar as dependências. Para ele rodar e iniciar, é preciso atender alguns requisitos básicos, que é o servidor web, PHP, e quatro extensões como mbstring, intl, simplexml e PDO. Tem boa integração com banco de dados como MySQL, MariaDB, PostgreSQL, além de SQL Server e SQLite 3.

Após instalação e de você configurar apenas o dados de acesso do banco de dados, você está habilitado para usar o Bake, que é uma gerador de CRUD. CRUD é as iniciais de Create Read Update e Delete, que são as ações mais básicas de um sistema. O Bake é capaz que fazer leitura do banco de dados, e dos campos, e gerar o código baseado nisso, ou seja, se tem um campo Date, ele vai gerar um campo diferente para um campo Boolean. Tudo isso de forma automática. Além disso, você pode criar seus próprios padrões, e customizar a saída dele.

Para concluir por hoje esse artigo, não poderia deixar passar o Theme, que nada mais é do que um Plugin do CakePHP, porém utilizado para criar temas para o sistema. Você pode criar um tema para a área pública e utilizar outro tema para área administrativa. Isso independente da regra de negócio, apenas mudando o visual, os arquivos estático. É realmente uma ferramenta poderosa e incrível. No próximo artigo vamos ver mais de perto na prática como ele funciona, e quão simples ele pode ser.

Por Maicon Silva Pinto, Desenvolvedor de Sistemas da DBC.

maicon.silva@dbccompany.com.br

 

4 Likes

Comments: 0

There are not comments on this post yet. Be the first one!

Deixe um comentário