Foto Lisandra

Essa não é uma carta de despedida

Escrito por Lisandra Compani
 em 21 de dezembro de 2021

Essa não é uma carta de despedida.

 

É comum quando finalizamos uma etapa de nossas vidas, realizarmos ritos de passagem para marcar esses momentos nas nossas lembranças… e as cartas de despedidas são comuns quando estamos nos desligando de uma empresa como forma de agradecer pelos momentos que passamos juntos.

Mas, ao invés disso, resolvi fazer uma retrospectiva desses dois anos maravilhosos de crescimento pessoal, profissional, aprendizado que tive na DBC. Tudo começou com o contato do Jonathan Casagrande, que eu já conhecia de outra empresa, me dizendo: “Lis, tenho uma vaga aqui na DBC que é a tua cara! Tu ainda estás procurando emprego? Podemos conversar para eu te apresentar a vaga?”

E eu prontamente disse: “Sim.” Já fazia muito tempo que eu sonhava em fazer parte da lista de colaboradores da DBC – sim, eu era daquelas que ficava admirando o prédio da DBC toda vez que passava na frente, e sentindo sempre essa energia boa que emanava desse lugar e imaginando como eram as pessoas que trabalhavam ali – e com certeza não me enganei nem um pouco!!!

Então chegou o grande dia de fazer as entrevistas com o gestor, com o cliente, e a cada etapa meu sonho se tornava realidade. Enfim, em 15 de outubro de 2019, começava efetivamente a minha trajetória na DBC Company.

Um dia antes fui chamada para fazer o onboarding, receber meus equipamentos, assinar documentos de admissão e a cada etapa conhecia mais pessoas e a atendimento de todos desde a recepção, departamento pessoal, infra foi muito boa. Todo esse processo foi bem conduzido, diminuindo a ansiedade de estar num emprego novo conhecendo pessoas, e ainda tinha tudo o que eu ainda iria conhecer no cliente, até porque eu estaria desbravando um mundo novo que seria o processo de aquirencia, mesmo sendo no contexto de financeiro e contábil, que já fazia parte do meu mundo desde o início da faculdade, tinha uma sopa de letrinhas que não era nada simples para mim. Mas tinha aceitado o desafio e tinha que fazer dar certo.

Já de cara, me senti em casa também no cliente, como era um mundo de descobertas para todos que estavam no projeto, existia a cultura de um ambiente colaborativo para que as metas fossem alcançadas. E eu com meu jeito cativante e comunicativo não demorou muito para conhecer muitas pessoas e como funcionavam os processos, e daí já veio a primeira oportunidade de ajudar na facilitação da DBC com o cliente. E adivinha? A cada dia eu conhecia mais pessoas, era mais conhecida pelos membros da equipe e aprendia mais coisas.

Como amo estudar, comecei a participar de todos os eventos do DBC Impact e aprender cada vez mais, sim, eu não participava só dos que tinham a ver com a minha função, eu participava de todos que tinha interesse. E por estar sempre em evidência, surgiu mais um convite, e dessa vez era para participar da equipe do DBC Ágil e participar de discussões sobre metodologia ágil, UX, etc.

Nessa época, meus pais já estavam doentes e passavam a maior parte do tempo na cama, como dizia a minha mãe, “esperando a hora deles irem”. Sim, esse foi um momento difícil – em termos físico e psicológicos – mas o apoio dos gestores e colegas nesse momento e as conversas com a Tuanni, Gerente de Gestão de Pessoas e o Pietro, transformaram meus dias cinza em dias ensolarados.

E aí chegou 2020, e com ele veio a pandemia é a vida mudou de cabeça para baixo de novo. Foi necessário abandonar velhos hábitos, criar novas rotinas, aprender como era trabalhar em home office, que pra mim era como abrir a “caixa de pandora” – sim, eu estava em pânico – mas para minha surpresa todo o conhecimento que eu tinha adquirido ao longo dos anos, seja fazendo curso, lendo artigos, livros, ou fazendo trilhas com meu irmão,  me ajudou para encontrar estratégias para me manter produtiva, atender as minhas obrigações em casa e colaborar com meu irmão para cuidar dos nossos pais.

Tirando os meus “perrengues” pessoais, esse momento trouxe muitas incertezas para todos, mas a Diretoria da DBC, com uma comunicação clara e transparente, deixou sempre os colaboradores informados do que estava acontecendo com a empresa e nos deixando seguros para continuarmos nossas atividades profissionais.  Da mesma forma, o feedback periódico do gestor da equipe, que me ajudaram a saber como estava meu desempenho, o que estava bom, o que precisava melhorar e qual o feedback do cliente referente ao meu trabalho. Tudo isso ajudou no meu crescimento profissional e pessoal e claro, atingir minhas metas.

Certo, só que faltou contar o quanto as aulas de laboral online, prática adotada pela DBC na pandemia, também colaborou para baixar a pressão desse momento. As aulas eram sempre divertidas, as vezes relaxantes, as vezes aeróbicas, que me faziam esquecer os perrengues. E participar ativamente da Laboral acabou me rendendo outro convite, mas agora foi da Grazi do Marketing, que me ligou para me perguntar: “Lisandra, tu topas fazer uma reportagem para Zero Hora falando da nossa laboral como iniciativas que as empresas desenvolveram para descontrair e evitar o estresse no home office?” E vocês já devem adivinhar que eu topei, né?!? Como negar um pedido do Marketing e de Gestão de Pessoas?!?!? E foram vários pedidos atendidos: foto no home office, foto se dando um abraço, foto de camiseta rosa, foto dos mimos recebidos, muitas ações que eu sempre amei participar!

E enquanto eu me tornava conhecida na DBC, o meu trabalho também era reconhecido no cliente e disso tudo surgiu o convite para um alçar um voo bem mais alto e fazer parte da equipe do cliente PagNext! E como não foi surpresa pra mim, recebi todo o apoio da DBC durante essa transição.

Sim, estou deixando de ser DBC para ser um Nxters, mas levando essa empresa tão especial e importante na minha vida profissional, no meu coração!  <3

Mas isso não é uma carta de despedida. É um agradecimento e um até logo! Porque como a Lorem, nossa colega do Marketing, me falou “Aqueles que passam por nós não vão só, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si e levam um pouco de nós!”

Então deixo aqui meu desejo de sucesso para todos e para essa empresa que me acolheu com todo o carinho, dedicação e que me abriu as portas para o meu crescimento profissional.

por Lisandra Compani Analista de Sistemas
Menu - DBC Company

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Deixe um comentário!

E participe da conversa.

Veja Também

Tendências de qualidade de software para 2022
Hoje entramos no nosso sétimo episódio de série de artigos mensais sobre teste de software, e vamos falar sobre as tendências que...
Essa não é uma carta de despedida
Essa não é uma carta de despedida.   É comum quando finalizamos uma etapa de nossas vidas, realizarmos ritos de passagem para...