Ativo 6

Janeiro Branco – Ciclos fazem parte da nossa vida

Escrito por Pietro Bordin
 em 31 de janeiro de 2022

Estamos no final de janeiro; passamos pelo primeiro mês do ano de 2022, estávamos comemorando o ano novo, mal piscamos e estamos em fevereiro. O que você vê nesta frase? Pare e releia, pois ela atentamente contém aquilo da essência de nossas vidas: os ciclos.

Janeiro representa esse momento, essa movimentação e inquietação que todo ano ocorre em nossas vidas; somos inundados de diversas perguntas que nem sabemos se terão respostas ou não. O que eu quero/não quero para 2022? O que acontecerá em 2022? Quais são minhas promessas? Será que vai ser um ano melhor?
Essa inquietação e ansiedade pode ser angustiante, principalmente para quem ainda não sabe o principal agente das possíveis resoluções destas perguntas: o nosso Eu. Sim, quem você é. E agora eu te pergunto, você realmente sabe quem você é?

Ok, isso está ficando meio confuso, então vamos do princípio. Porque escolhemos janeiro para falar sobre saúde mental? A iniciativa surgiu através desta sensação anteriormente descrita, de que janeiro é o mês do recomeço, de mudança de ciclos, hábitos e refletir sobre a vida. Foi um grupo de psicólogos e estudantes do curso em Uberlândia que criou nas redes sociais o Janeiro Branco para abordar o tema da saúde mental com maior ênfase e importância nos dias atuais. A iniciativa foi se espalhando pelas redes sociais e estamos aqui hoje criando junto com vocês este momento de reflexão.

Nesta reflexão, quero trazer três perspectivas sobre saúde mental: o que é, sinais de atenção, e onde procurar ajuda. Vamos então pelo primeiro, o que é saúde mental afinal?

Saúde mental é um conjunto de reações físicas e mentais em relação às demandas do mundo, bem como seus desafios e mudanças ao longo da vida, estando relacionado diretamente ao autocuidado, autoconhecimento e autopercepção da qualidade das nossas vidas e as nossas emoções e ideais. Ou seja, não se trata somente de ter ou não um transtorno, mas sim do bem-estar, segurança emocional e recursos acerca do nosso cotidiano conforme os ciclos da nossa vida.

O que nos traz e remete para o próximo tópico: como identificar que minha saúde mental precisa de atenção? Bom, essa é uma resposta complexa. Ao longo da vida e dos ciclos que vamos passando, temos desafios que geram incômodo e até um certo sofrimento, mas a vida não é para ser um sofrimento constante, nem um mal estar contínuo. Precisamos de atenção quando estamos diante de não conseguir “fechar” esses ciclos e desafios, que geram certos sintomas que são gerais quando não estamos bem mentalmente. Reforço que esses sintomas são constantes e não algo pontual e momentâneo, pois existem momentos que temos cada um deles e fazem parte desse ciclo vital. São eles:

– Estresse e Cansaço contínuo diário;
– Insatisfação com diversos âmbitos da vida;
– Perdas de Interesses Constantes;
– Oscilações de Humor;
– Afastamento Social;
– Dificuldade de Reconhecer pequenas e grandes conquistas;
– Indisposição.

Agora que sabemos o que é saúde mental, e quais sintomas que nos sinalizam quando algo não vai bem, onde e por que devo procurar ajuda? Bem, como qualquer questão relacionada à saúde, sempre é bom procurar especialistas que podem auxiliar e que têm conhecimento voltado para área; no caso da saúde mental, psicólogos e psiquiatras. Mas também não deixe de buscar ajuda na sua rede de apoio, amigos, familiares, colegas que estão presentes no seu dia a dia e que podem de alguma forma passar por um momento mais delicado com maior suporte.

Bom, onde posso procurar por esta ajuda especializada?
Para atendimentos gratuitos ou por preço social, pode procurar instituições de ensino ou universidades que oferecem este serviço; elas contam com uma rede de profissionais que atendem a baixo custo e que também podem possuir uma supervisão com outros profissionais. Podemos procurar também na internet, sempre buscando pelo menos uma fonte de referência e se o profissional está ativo nos devidos conselhos regionais de sua profissão.

Outro método muito comum é o uso de planos de saúde. Você sabia que nas Resoluções Normativas da ANS, é direito do usuário ter 40 sessões de psicoterapia por ano? Consulte a rede referenciada de seu plano para maiores detalhes.
Em casos emergências, se existe algum risco de tentativa de suicídio, sempre podem contar com CVV – Centro de Valorização da Vida – Ligue 188.

Mas afinal o título deste artigo é sobre ciclos – espero que de alguma forma tenha estimulado, mesmo que de uma forma pequena, a compreender melhor sua saúde, e que possa usar e buscar melhores recursos para encerrar e adentrar novos ciclos de uma maneira mais tranquila e segura. Lembrem-se: caso precisar de ajuda, não hesite, procure, pois nem todos vencemos obstáculos sozinhos! Nesse 2022, desejo a todos um bom ano, e que todas as conquistas (pequenas e grandes, fáceis ou difíceis) possam ser de alguma forma contempladas com orgulho e felicidade.

por Pietro Bordin Assistente de Gestão de Pessoas
Menu - DBC Company

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Deixe um comentário!

E participe da conversa.

Veja Também

Gestão de Projetos - uma reflexão atual
Realizar a Gestão de projetos tem por conceito controlar as atividades e eventos através de um plano fundamentado em três pilares:  prazo,...
O esforço das organizações para alcançar agilidade nos negócios
Nos últimos anos, o rápido avanço tecnológico e as mudanças nos cenários econômico, político e social provocaram impactos sobre profissionais e organizações,...