flat lay view from above on table workplace close-up man hands at home working typing on laptop online freelancer job, black empty screen, stationery

Modelo híbrido – como se adaptar?

Escrito por Pietro Bordin
 em 24 de novembro de 2021

Olá pessoal, hoje gostaría de trazer um artigo de reflexão para todos.

Brevemente queria trazer um contexto: estamos em dezembro, o último mês do ano de 2021, e poderia me atrever a dizer que este seja mais especial, pois tratam-se de encerramentos de vários ciclos; no mundo, na DBC e na vida. Entraremos em 2022 com a Pandemia de Covid-19 mais controlada no Brasil e, graças à vacinação, estamos retomando aos poucos nossas atividades pessoais e presenciais. Na DBC iremos nos mudar para o Instituto Caldeira, um grande hub de empresas e parcerias que estão focadas na transformação e inovação, e também é uma instituição pensada a partir principal tendência que quero falar com vocês hoje: o modelo híbrido.

Percebemos nos últimos dois anos que o modelo Home Office veio para ficar! Diversas empresas e países adotaram este modelo de trabalho e tiveram sucesso em suas adaptações, incluindo a DBC. Melhor qualidade de vida, maior tempo com a família, menor custo com deslocamento; são muitos os benefícios gerais que o modelo pode gerar. Porém, vimos que somos humanos e seres sociais, que necessitam do contato e interações fora do ambiente familiar e pessoal e, portanto, a falta de outros tipos de interação tem um impacto significativo na nossa saúde mental.

Procurando um equilíbrio entre todos os aspectos positivos e negativos do home office, surge o Modelo Híbrido de Trabalho, alternando entre atividades presenciais e à distância. Trazendo uma maior flexibilidade para todas situações, demandas e preferências pessoais, gerando uma maior capacidade de conexão e sintonia com todos os colaboradores. Contemplando clientes, colaboradores de todo o Brasil e suas preferências, a DBC adotou este modelo de forma permanente em setembro de 2021. Mas afinal, como posso me readaptar nessa tendência nacional e mundial?

 

1.  Qual a diferença e como sei se estou tendo um modelo híbrido de trabalho?

A principal diferença é que as atividades podem ser divididas em trabalho remoto e trabalho presencial, seja na sede ou em clientes. Importante trazer que elas não são excludentes; todos podem trabalhar com uma equipe 100% home office e ter momentos pontuais de encontro presencial, ou podem ter uma periodicidade e/ou rotação nas equipes em trabalho presencial.

           

2.  Me adaptei ao modelo home office, mas agora terei que retornar alguns dias em trabalho presencial, o que faço para me organizar?

Realmente, se readaptar em menos de 2 anos não é uma tarefa fácil. Primeiro, reúna as informações fundamentais para sua rotina:

– Horários das atividades familiares (escola dos filhos, aulas de cursos, entre outros);

– Qual é o combinado entre a empresa/cliente, principalmente das atividades presenciais (horários, datas, intervalos, local, rotação de pessoal e reuniões).

Após reunir estas informações, seu objetivo é tentar traçar uma rotina que busque conciliar seus deveres pessoais e suas atividades de trabalho. No início, talvez possamos nos sentir meio cansados ou fora da “batida”, pois acostumamos a trabalhar de casa, o que demanda habilidades diferentes.

 

3. Definir novas prioridades, mas desta vez com um elemento novo: quais tarefas podem ser melhor trabalhadas no presencial?

Percebemos que todas as tarefas voltadas para o nosso setor podem ser realizadas 100% online. Porém, têm pontos estratégicos que merecem uma atenção especial. Priorizar a “presencialidade” para situações que são potencializadas com o foco no relacionamento, decisões importantes, contato visual e interação, transparência, conexão e compliance. Pensando nisso, outras atividades podem ser priorizadas para o trabalho à distância.

 

4. Saúde no Trabalho e os aprendizados dos anos 2020/2021

Não esqueça todos os ensinamentos desses últimos anos, fique atento à sua saúde e ao equilíbrio na sua vida pessoal e profissional. Você passou um momento complicado nesses últimos anos e conseguiu de alguma forma por isso tudo; se valorize pelas pequenas e grandes conquistas. Se readaptar é um processo que exige tempo, ajuda e certa organização; esteja aberto a reflexões e mudanças significativas e perceba as suas necessidades pessoais.

 

Finalizando, é importante ficar claro que, por ser um modelo flexível e relativamente novo, estamos todos em processo de adaptação: empresa, cliente, colaboradores e sociedade como um todo. Todos estão sujeitos a mudanças e sugestões para melhorar seus processos e focar cada vez mais na nossa qualidade e bem-estar pessoal e no trabalho.

Nesse modelo híbrido desejo todos um bom retorno às atividades presenciais, e vivenciem suas conexões de trabalho e seus relacionamentos de equipe. Somos humanos, somos DBC Company!

 

por Pietro Bordin Assistente de Gestão de Pessoas
Menu - DBC Company

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Deixe um comentário!

E participe da conversa.

Veja Também

Gestão de Projetos - uma reflexão atual
Realizar a Gestão de projetos tem por conceito controlar as atividades e eventos através de um plano fundamentado em três pilares:  prazo,...
O esforço das organizações para alcançar agilidade nos negócios
Nos últimos anos, o rápido avanço tecnológico e as mudanças nos cenários econômico, político e social provocaram impactos sobre profissionais e organizações,...